No desenvolvimento de software, sempre existem as lideranças que funcionam a mil por hora. Tratam-se de devs que têm talento o suficiente para escreverem softwares em pouquíssimo tempo, de “olhos fechados” ou até mesmo “enquanto dormem”. O problema é que as pessoas que já trabalharam com devs assim, normalmente torcem para não manter contato depois que o projeto chega ao fim.

O motivo disso é que, por mais que essas pessoas sejam seniores e até gostem de resolver problemas, elas nunca pedem ajuda e jamais compartilham como chegaram até a resolução. São a essência do individualismo.

No geral, são pessoas que gostam inicialmente do desafio de resolver os problemas mais difíceis, mas que não se sentem bem em aceitar trabalhos menos “honrosos”. Você também deve reconhecê-las como aquelas pessoas que adoram receber os créditos e que não dão muita atenção para o resto da equipe.

São gênios. São rockstars. Mas eu, particularmente, não gosto de trabalhar com elas e também prefiro dar outro nome: egocêntricos e pretensiosos. Em vez disso, prefiro as lideranças impulsionadoras de força.

O que é uma liderança impulsionadora?

Como fã de Star Wars, penso que esta é a melhor analogia possível: assim como os Cavaleiros Jedi de Guerra nas Estrelas, você pode usar a força para o bem e para melhorar a sua vida e a da sua equipe. Ou seja, em vez de querer ser o centro das atenções e dificultar tudo ao agir como rockstars, você pode se tornar alguém que impulsiona a força de várias áreas. Dê só uma olhada em alguns tipos de atitudes de uma liderança impulsionadora e veja como podem te ajudar:

1.Técnico

A parte técnica envolve compartilhar seus conhecimentos com qualquer membro de menor experiência de sua equipe. É importante entender como orientar, treinar sua equipe e compartilhar suas experiências.

A cada semana, sobrará menos tempo para a programação prática, o que faz parte de cargos de liderança, mas você estará ajudando a aumentar o conhecimento dos outros. A longo prazo, vai ter muito mais impacto na produção, para isso, passe algum tempo programando em par, com alguém da sua equipe e esteja disponível quando as pessoas precisarem de ajuda. Também vale a pena envolver-se em revisões de código e compartilhar diferentes soluções, se achar que elas podem auxiliar.

Afinal, esta mentoria abre espaço para que essas pessoas ajudem outras no futuro e sigam expandindo o conhecimento técnico que partiu de você.

2. Cultural

A cultura pode ser algo difícil de definir. É uma combinação de valores, crenças, atitudes e comportamentos compartilhados pela equipe como um todo. De uma forma ou de outra, define o quão bem as pessoas trabalham juntas e como elas tratam umas às outras.

Então, como líder, você precisa se concentrar em incentivar seu time e se empenhar em melhorar o espírito de equipe. Incentive o feedback constante da sua parte e do restante da equipe, até porque é essencial que haja honestidade e transparência em tudo que for realizado. Também vale a pena esclarecer que qualquer pitaco no trabalho dos outros tem, em essência, um aspecto apenas profissional — isso facilita no processo de aprendizado e de erro também.

Tornar o dia a dia prazeroso é outra coisa que ajuda muito. Lembre-se, o ambiente de trabalho não pode ser algo monótono e chato, e a cultura do seu time é muito influenciada por isso. Existe um outro valor fundamental dentro desta ideia, que é: não se esqueça de encorajar seu time a tirar um tempo para descanso. A cultura de uma equipe é muito mais eficiente quando a produtividade não é cobrada a todo momento.

Em vez disso, conversas informais, momentos de relax e pausas para um cafezinho são essenciais, especialmente quando se trata de um trabalho remoto. São esses os momentos que unem as pessoas, mesmo quando existem telas no meio do caminho.

3. Processo

O que atrasa sua equipe? As revisões de código estão demorando muito? A parte de produção leva uma eternidade? Sua documentação é desorganizada ou difícil de encontrar?

Estes problemas costumam virar uma bola de neve gigantesca porque ninguém sabe por onde começar. Então tome o primeiro passo. Assim como fazemos com tarefas, crie uma lista de problemas e vá se desfazendo deles um a um.

Por fim, use suas habilidades para focar na melhoria dos processos da equipe ou do departamento, mesmo que seja algo fora da sua área. Você pode melhorar a integração contínua ou a implantação de servidores? Faça isso. Pode melhorar a comunicação entre as equipes? Faça isso. A proatividade sempre leva as pessoas longe!

Use a Força Impulsionadora

À medida que sua jornada se desenvolve para cargos mais seniores, seu trabalho pode se tornar menos técnico e mais de gestão. Portanto, use seus impulsionadores de força e amplie seu impacto tanto dentro de sua equipe, quanto em outros departamentos. Dessa forma, você ajudará a si mesmo e a toda a empresa a crescer.

Então, espero que este conteúdo te ajude e te coloque no caminho para impulsionar forças! Mas não esqueça de compartilhar o artigo com colegas de trabalho e aproveite para ler sobre 5 meta-skills que vão alavancar sua carreira. Ah, e claro: que a Força impulsionadora esteja com você. 🌌✨