É comum que grandes acontecimentos causem reflexos em diversas áreas. Este, portanto, é o caso do futuro da TI em um contexto de pós-pandemia.

Por exemplo, esse cenário emergencial reforçou a necessidade de mudanças para uma estrutura voltada ao trabalho remoto, devido à importância do distanciamento social. Com restrições mais brandas, podemos ver certas tendências para a área de Tecnologia da Informação se confirmando.

Neste artigo, você entenderá quais tendências estão fortalecidas no cenário pós-pandemia e o que elas significam para o futuro da TI.

Qual é o cenário do setor de TI pós-pandemia?

Ao falar sobre o futuro da TI, é preciso considerar como esse mercado se comportará em um cenário pós-pandemia. As rápidas e intensas transformações pelas quais diversas áreas passaram desde 2020 têm um impacto direto nisso.

Segundo levantamento feito pela CNN, a procura por profissionais de TI aumentou mais de 670% apenas em 2020. Ainda segundo a reportagem, quatro profissões de TI estão entre as que mais cresceram desde 2020: desenvolvedor(a), analista de sistemas, analista de suporte e analista de Business Intelligence.

Além disso, a alta procura também revela que existe um déficit desses profissionais. Segundo levantamento da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação e de Tecnologias Digitais (Brasscom), esse déficit pode chegar a meio milhão até 2025.

O setor de profissionais de cibersegurança também passa por um déficit no mercado. Segundo dados da (ISC)², é preciso que exista um aumento de 65% dos especialistas.

Quais tendências para o futuro da TI se fortalecerão no pós-pandemia?

Para isso, é possível se basear em direcionamentos a partir de sinais nítidos emitidos pelo mercado e pelas empresas. Vamos lá? Confira a seguir quais são as tendências que se fortalecerão no futuro da TI com o pós-pandemia.

1️⃣ Adesão planejada e definitiva ao remote first

Mesmo com regras mais brandas em relação ao distanciamento social, uma das tendências para o futuro da TI no pós-pandemia é uma adesão mais difundida ao remote first.

Remote first é um modelo de trabalho em que a empresa tem preferência pela execução de tarefas fora do escritório. Mas quando necessário, os profissionais podem participar de encontros presenciais na sede da empresa.

Além disso, o remote first não é apenas uma mudança de processos, mas também de cultura organizacional. Ou seja, essa ideia precisa estar prevista nos valores e motivações dos profissionais, caso contrário, perderá a sua essência.

A Impulso é um exemplo de empresa que tem o remote first como parte de sua cultura desde sua fundação, há 11 anos atrás. Essa é uma das forças por trás da eficácia dos nossos times de especialistas.

2️⃣ Inclusão de tarefas assíncronas

Outro reflexo do trabalho remoto impulsionado pela pandemia e que estará no futuro da TI é o trabalho assíncrono. Afinal, com equipes espalhadas por vários lugares, modelos antigos não geram bons resultados para execução das tarefas diárias.

Uma atividade assíncrona acontece quando os integrantes da equipe a realizam em horários diferentes. Assim,  esse sistema tem como base uma boa comunicação e um modelo de trabalho presencial ou remoto e também exige uma boa integração.

Aliás, a Impulso também é um exemplo de empresa que trabalha com a execução de tarefas assíncronas em seus times remotos. Essa é mais uma das características do modelo remote first adotado por ela desde antes da pandemia.

3️⃣ Cybersecurity mesh

Modelos mais flexíveis de trabalho exigem uma infraestrutura pensada para isso, o que também exige uma camada de segurança adicional sobre os arquivos e as informações da empresa.

Nesse contexto, há uma maior demanda pelo modelo “cybersecurity mesh”, uma arquitetura de soluções de segurança integradas. Por isso, há também a exigência de profissionais qualificados para lidar com esse tipo de estrutura.

4️⃣ Inteligência de decisão

O cenário pós-pandemia também será marcado por uma orientação muito mais forte à inteligência de decisão. Essa tendência diz respeito a contar com processos mais robustos, voltados a informar as lideranças da empresa para tomarem decisões mais certeiras.

Logo, o próximo passo disso está na automação. De forma que, com processos devidamente configurados e previsíveis, é possível aumentar a produtividade e a taxa de sucesso da empresa ao automatizar processos de decisão estratégicos.

Um dos exemplos de tendência nesse sentido é a confiança crescente em softwares de Big Data. Para que esse trabalho seja produtivo, é preciso contar com a automação e a inteligência artificial para realizar a triagem de seus diagnósticos.

5️⃣ Fortalecimento dos laços entre times

Uma boa integração entre os times de uma empresa sempre foi algo fundamental para o sucesso dela. No entanto, com o pós-pandemia, o futuro da TI aponta para uma necessidade ainda maior de fortalecer os laços entre essas pessoas.

Especialmente em um contexto de trabalho remoto, a equipe precisa se sentir próxima para gerar valor para as suas rotinas. Por isso mesmo, a relação das pessoas com seus times é um dos aspectos mais valorizados aqui na Impulso, o que contribui para a sinergia assim como a qualidade das entregas.

6️⃣ Revolução do e-commerce

O e-commerce já não era novidade em vários setores, mas o cenário passou por uma explosão de popularidade até junto a empresas que não atuavam nessa área. O que exigiu o esforço e a expertise de profissionais de TI.

Com o pós-pandemia, a tendência é que elas permaneçam operando de forma física e virtual. Então, há a necessidade de aprimorar cada vez mais esse modelo.

7️⃣ Total experience

Sempre se fala muito sobre experiência do cliente, até que nos últimos anos a pauta passou a incluir, também, o foco para quem atua nos times. Agora, o futuro da TI aponta para um cenário em que esses e outros conceitos sejam unificados para chegar à ideia de total experience, ou experiência total.

Essa ideia condensa a experiência do cliente, de colaboradores, do usuário e dos demais pontos de contato da organização para acelerar seu crescimento. Ou seja, são dedicados esforços baseados em tecnologia e design para aprimorar tudo isso de forma integrada e aproveitar bons resultados.

Portanto, para pensar sobre o futuro da TI pós-pandemia, é preciso considerar as transformações pelas quais o mundo e o setor passaram desde 2020. Afinal, até as empresas que originalmente não se consideravam tecnológicas precisam se atualizar, além de novas possibilidades estarem ao alcance daquelas que surfam na crista da onda. Portanto, é fundamental acompanhar essas tendências e se adiantar.

Curtiu essas informações? Então, compartilhe o artigo nas suas redes sociais para que os seus contatos também possam aproveitá-las.