Impulsojunte-se à Impulso
Saiba o que é o Burnout e sua relação com TI e trabalho remoto

13/04/22

5 min de leitura

Saiba o que é o Burnout e sua relação com TI e trabalho remoto

Saiba o que é o Burnout e sua relação com TI e trabalho remoto

Karine SilveiraKarine Silveira

A síndrome de Burnout é classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma doença ocupacional. O distúrbio, que é definido como uma síndrome ocasionada pelo estresse crônico no trabalho, é cada vez mais comum no mercado de TI.

Porém, quem atua na área de tecnologia conta com uma alternativa que pode reduzir as chances deste esgotamento mental e físico, que nem todos os profissionais de outras áreas dispõem: a possibilidade de atuar no modelo de trabalho remoto.

Este post tem o intuito de explicar melhor como a síndrome do esgotamento se manifesta em profissionais de TI. E, também, para mostrar as razões pelas quais a adoção do remote first pode ser um aliado na sua prevenção. Confira!

O que é a Síndrome de Burnout

Segundo a OMS, a síndrome é ocasionada pelo estresse crônico devido ao trabalho. Ainda de acordo com a Organização, o adoecimento se estabelece em três estágios, sendo eles:

  1. Exaustão, como o próprio nome já trata; 
  2. Pensamentos negativos;
  3. Sensação de insatisfação.

A síndrome pode estar associada a outros sintomas, como:

  • irritabilidade;
  • dificuldade de concentração;
  • problemas durante o sono. 

Ao passo que nos casos mais graves podem ocorrer também:

  • falta de ar;
  • taquicardia;
  • hipertensão.

Então, se você se identifica com mais de dois dos sinais apresentados, indicamos que procure ajuda profissional. Cuidar da sua saúde mental é muito importante.

Sinais de Burnout em profissionais de TI

Na área de TI as altas demanda e agilidade nos processos são fatores estressores, que  quando não tratados, podem ocasionar a síndrome. Uma pesquisa da  Digital Ocean, realizada em 2019, indicou que 82% daqueles que atuam com desenvolvimento nos EUA registraram algum desgaste relacionado à síndrome.

Alguns estudos sobre os casos de esgotamento na área identificaram padrões comportamentais que podem servir de alerta, os principais deles são:

  • desinteresse;
  • baixa moral;
  • queda no desempenho;
  • problemas de relacionamento.

A pandemia da Covid-19 afetou ainda mais o setor,  neste “novo normal”, muitos projetos foram acelerados, as prioridades de tecnologia foram alteradas e o modelo de trabalho também mudou em algumas empresas, tornando a rotina de trabalho mais complexa. O resultado disso pode ser visto nos resultados de uma pesquisa AppDynamics, realizada com pessoas de TI, que relata que:

81% sentem maior frustração com o trabalho;
63% aumentaram os conflitos com os colegas;
84% tem dificuldade de se desligar do trabalho na sua rotina.

Mas então, o que fazer para não desenvolver esta síndrome em meio aos desafios da área Tech? 🤔

Para começar, entender que seu lado humano, além do profissional. Aqui no blog relembramos sempre que não somos máquinas e que bom por isso! Nós precisamos de pausas, temos momento de maior produtividade e de menor também e isso faz parte do processo.

Em outros artigos selecionamos dicas de apps para utilizar no dia a dia, como lidar bem com as urgências, como montar um bom Home Office, como lidar com tomadas de decisões além de alertar sobre a idealização da produtividade e os perigos das falsas urgências. Indicamos a leitura desses textos para se proteger da exaustão devido a rotina de trabalho.

O trabalho remoto e a prevenção do Burnout no time de TI

O modelo de trabalho remoto já era uma realidade para muitas pessoas na Tecnologia da Informação, mas para outras, essa migração aconteceu em 2020, após o coronavírus. O que gerou uma boa aceitação, 78,27% preferem continuar trabalhando de casa, segundo pesquisa da GeekHunter. 

Os benefícios de montar seu escritório em casa vão além do conforto. Quando bem estruturado, o trabalho remoto pode ser um importante aliado na prevenção da síndrome. A possibilidade de atuar à distância garante alternativas que tornam a rotina menos estressante.

Isso porque trabalhando de forma remota é possível equilibrar melhor a vida pessoal e a profissional. A pessoa gerencia o seu tempo sem muitas pressões externas e por isso, com maior liberdade. O período gasto com deslocamentos, por exemplo, se reverte em tempo útil, que pode ser usado com a família, amigos, pets ou com cuidados pessoais.

Além disso, você ainda pode trabalhar de onde quiser (o anywhere office)! É possível viajar para trabalhar, mudar de cômodo dentro da própria casa ou passar um tempo morando com a família, o que é considerado tempo de qualidade na psicologia. Isso é muito importante para a saúde mental.

Por isso, este modelo de trabalho garante autonomia e independência para quem trabalha em TI. O que ajuda a controlar a ansiedade e driblar o esgotamento, característicos do ambiente corporativo que pavimentam o caminho para o Burnout.

E a produtividade no trabalho remoto?

Mas será que o rendimento é o mesmo? A resposta é não! ❌ O desempenho e a produtividade costumam ser superiores no trabalho remoto em comparação com o modelo presencial. Na mesma pesquisa da GeekHunter, 66% responderam que sua produtividade aumentou. 

Afinal, a atuação à distância, com os benefícios citados acima, costuma elevar a motivação dos times e portanto, o rendimento.

De modo que, a sensação de maior eficiência beneficia a saúde mental e combate diretamente um dos principais sintomas da síndrome que tratamos neste artigo. 

Trabalho assíncrono

Ademais, outra alternativa positiva na prevenção do burnout é a adoção do  trabalho assíncrono. Neste modelo, os integrantes da equipe não atuam de forma simultânea. Os membros atuantes não são dispensados de suas responsabilidades, mas cada um ajusta sua atuação ao momento que considerar melhor para si e para o time.

Desta forma, a pessoa fica integralmente focada na tarefa determinada, sem interrupções para outras demandas e também concentra a jornada nos momentos do dia em que é mais produtivo. 

No entanto, esse modelo exige processos bem ajustados, especialmente no que se refere à comunicação entre a equipe. Afinal, cada colaborador vai atuar em um momento diferente.

Conclusão

Em resumo, neste artigo descobrimos as altas taxas de Síndrome de Burnout e como ela se apresenta em profissionais de TI, mas também citamos algumas formas de evita-lá. Listamos aqui os benefícios do trabalho remoto e assíncrono, os aplicativos que ajudam a organizar seu dia a dia, como melhorar seu escritório remoto e lidar com urgência. Mas acima de todas essas dicas está a de procurar ajuda profissional caso você se identifique com os sintomas. 

Se você achou o assunto deste post realmente importante, que tal dividir estas informações com colegas? Compartilhe em suas redes sociais!

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência no site. Ao aceitar, você concorda com nossa Política de Privacidade

Assine nossa newsletter

Toda semana uma News com oportunidades de trabalho, conteúdos selecionados, eventos importantes e novidades sobre o Mundo da Tecnologia.

Pronto, em breve você vai receber novidades 👍