Os benefícios do trabalho remoto são de conhecimento geral da comunidade de tecnologia. Todo mundo sabe como é bom não precisar acordar cedo; tomar café da manhã correndo; ou enfrentar congestionamento para chegar ao escritório. A melhora na qualidade de vida é evidente!

Por isso, este artigo definitivamente não é para explicar por que o trabalho remoto está se tornando cada vez mais uma opção para Devs, que encontram respaldo em empresas adeptas a essa cultura. Ao invés disso, é um texto sobre como você pode fazer isso funcionar.

Até porque trabalhar remotamente para empresas de TI impõe uma rotina bem diferente — seja você uma pessoa desenvolvedora, designer ou gestora. As mudanças começam logo na seleção para uma vaga ou projeto de software, passam pelo onboarding do time e vão até o cotidiano de trabalho.

A jornada de devs no trabalho remoto

Primeiramente, é preciso lembrar que este modelo exige autonomia, disciplina e responsabilidade. Por esse motivo, há quem acredite que isso seja exclusivo para pessoas de nível sênior. É o caso do Eduardo Varela, que escreveu sobre isso recentemente no blog Deploy by Code:Nation. Para ele, a jornada de pessoas desenvolvedoras é composta por quatro etapas:

  • Learning: quando o embasamento é construído na faculdade, em estágios ou por conta própria;
  • Acquiring experience: quando acontece o amadurecimento profissional, nos primeiros anos de trabalho, geralmente em uma startup;
  • International experience: quando a pessoa sente-se confiante e responsável para trabalhar em uma empresa de outro país;
  • Remote work: quando a maturidade permite que se trabalhe a partir de qualquer lugar, fazendo o próprio horário. 

Veja a seguir algumas recomendações e competências fundamentais para chegar neste nível.

Seleção

Independentemente do formato, quem opta pelo trabalho remoto em empresas de TI geralmente passa por um processo diferente de contratação. Isso porque a maioria dos trâmites acontece pela internet, sem contato presencial com quem se candidata.

Depois de visualizada a oportunidade — seja no site da empresa, em endereços de recrutamento ou por meio de comunidades específicas para profissionais de TI —, é normal que a seleção seja iniciada por meio de um teste técnico online.

Em seguida, é feito o encaminhamento para entrevistas, que acontecem por meio de aplicativos de vídeo, com recrutadores e profissionais técnicos. Por fim, você fala com as pessoas responsáveis pela gestão do projeto onde irá atuar.

Onboarding

Então, caso você seja aprovado, é o momento para tirar dúvidas. Agarre-se virtualmente à pessoa que foi designada para lhe guiar nesses primeiros dias e certifique-se de compreender todos os processos.

A seguir, prepare-se para participar de uma série de reuniões online de apresentação ao restante do time e ao escopo do projeto de software que está sendo desenvolvido. 

E encare essa etapa como uma oportunidade de aprender sobre uma nova cultura empresarial. Esse, aliás, é um dos grandes trunfos de quem escolhe trabalhar de casa. Você até pode discordar de determinadas metodologias, mas conhecê-las é fundamental para saber se podem ou não servir para alavancar sua carreira.

Dia a dia

Passados os primeiros dias de adaptação, é hora de colocar a mão na massa. Os meetups online vão continuar acontecendo, afinal a comunicação é fundamental para o trabalho remoto. Trocas de e-mails e mensagens por aplicativos como o Slack também farão parte da sua rotina. Procure saber, inclusive, se você precisa permanecer online em algum período do dia, porque há empresas que demandam isso.

Durante esses primeiros dias, entenda o ritmo da empresa. Dependendo da gestão, as entregas podem ser semanais ou até diárias. Ou seja, você precisa estar atento aos prazos e, mais do que demandas finalizadas, precisa entregar valor ao seu cliente.

Outra coisa importante é manter sempre organizada e atualizada a sua ferramenta de gerenciamento de atividades (Trello, Jira, TeamCity ou Azure DevOps), de forma que a equipe saiba em que pé do desenvolvimento você se encontra.

Por fim, você também precisa reportar com qualidade o quanto conseguiu avançar ou quais dificuldades está encontrando ao longo do caminho — seja sempre sincero sobre isso. Ninguém quer um pseudo-herói na equipe, alguém que fique se atolando em tarefas que não consegue cumprir.

Conclusão

Portanto, trabalhar de forma remota para empresas de TI é algo que soa atrativo para grande parte das pessoas que desenvolvem softwares. No entanto, como você deve ter percebido, há uma série de adaptações que são necessárias para que a rotina seja cumprida com êxito. É preciso se adaptar com agilidade a fim de se encaixar dentro deste modelo.

Pensando nisso, espero que você possa implementar esses pontos na sua rotina de trabalho. Aproveite e leia outro texto sobre trabalho remoto, com 5 dicas sobre como fazê-lo funcionar. Enfim, não esqueça de compartilhar este artigo!

Show CommentsClose Comments

Deixe seu comentário